Juvenis

Lição 9 - A igreja em missões urbanas III

SUPERINTENDÊNCIA DAS EBD"S DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS EM PERNAMBUCO

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2021

JUVENIS: IGREJA, O CORPO DE CRISTO

COMENTARISTA: JAMIEL LOPES

COMENTARISTA: SUPERINTENDÊNCIA DAS EBD'S DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS EM PERNAMBUCO

LIÇÃO Nº 9 – A IGREJA EM MISSÕES URBANAS

INTRODUÇÃO

Professor(a), realizar missões urbanas é um grande desafio, principalmente porque estamos vivendo em tempos trabalhosos: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos” (2Tm 3.1), que tem como uma das principais características a violência e a falta de confiança no outro. O clima de desconfiança cresce a cada dia que se passa e, por causa da crueldade dos homens (2Tm 3.3) muitos estão ficando prisioneiros em seus próprios lares, com dificuldade até para colocar em prática a hospitalidade, principalmente quem mora nos condomínios fechados, apartamentos onde o investimento em tecnologia na área de segurança é muito grande. Daí a necessidade de pedirmos “sabedoria do alto” (Tg 3.17), em contrapartida, para utilizarmos a tecnologia como meio evangelístico, porque estamos vivendo o tempo da “Parábola da figueira” (Mt 24.32-35).

I – OBJETIVOS

• Apresentar das estratégias usadas por Paulo para evangelizar os grandes centros;

• Encorajar a evangelização nos grandes centros e nas pequenas cidades;

• Conhecer os meios usados pela IEADPE para evangelizar.

II – TEXTO ÁUREO

“(...) Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura.” (Marcos 16.15) Quando Jesus disse estas palavras aos discípulos, não foi uma orientação, foi uma ordem. O verbo “ir” foi conjugado pelo Mestre dos mestres no Imperativo afirmativo. Podemos ler assim: “(...) Ide VÓS por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura”. Quem recebeu a tarefa de evangelizar foi a Igreja – o Corpo de Cristo! Nesse contexto a questão do testemunho é imprescindível, mas atualmente, além do testemunho temos a necessidade de fazer uso de estratégias diferenciadas para alcançar as almas. Isso inclui as tecnologias midiáticas (televisão, rádio, redes sociais, outdoor, etc.), projetos sociais, eventos (cruzadas, congressos, encontros), formação continuada das lideranças para qualificar o trabalho de evangelização. Enfim, o “Ide” precisa ser obedecido com seriedade e serenidade, porque assim agindo estamos prestando a Deus o nosso “culto racional” (Rm 12.1).

III – AUXÍLIO PEDAGÓGICO

Professor(a), para esta aula adapte a esta sugestão, a orientação pedagógica da Seção: “A Aula Vai Começar” (pág. 64) da revista em uso CPAD. Para adaptar a dinâmica proposta, confeccione em cartolina uma faixa com a pergunta: Quem aqui gosta quando é lembrado por alguém? Para dar início a aula apresente a frase que você organizou, faça a pergunta, aguarde as respostas dos alunos e diga também a eles como você se sente quando é lembrado(a) por alguém. Peça orientação ao Espírito Santo para guiar o diálogo durante esta atividade, pois este momento deve servir para abençoar a vida de todos os participantes e todos perceberem como são especiais e que cada um tem características singulares que o Senhor quer usar cada um deles em Sua Obra Santa, para fazer cumprir o Ide de Jesus (Marcos 16.15).

IV – COMENTÁRIO DA LIÇÃO

A Igreja está como peregrina num mundo desértico de amor. O egocentrismo reina em muitos corações; vidas estão caminhando para o abismo das trevas e muitas não em noção do perigo que estão correndo. Somos a “Grande Comissão” convocada pelo Senhor dos senhores com o objetivo principal de levar as Boas Novas de Salvação. O apóstolo Paulo sempre evidenciou em suas cartas, escritas sob total inspiração do Espírito Santo, a urgência e a responsabilidade que cada crente tem de ser um propagador da Palavra. Ele foi um estrategista do Reino de Deus. Em 1Coríntios 9, Paulo, apóstolo de Cristo, fala sobre a corrida pela fé buscando alcançar o maior número de vidas para Jesus. Especificamente, nos versículos 22 e 23 ele afirma: “Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele.”. É com este pensamento que devemos realizar missões urbanas – doação da nossa vida por uma causa eterna: salvação de almas! Então, avancemos sem temer! Olhando para Jesus, autor e consumador da nossa fé (Hb 12.2).

4.1 Paulo e a evangelização nos grandes centros. O apóstolo Paulo, como anteriormente foi descrito, foi um grande estrategista do Reino; ganhar almas era seu principal foco. Pearlman (2006, p. 280), escreve que uma das principais obras da Igreja é pregar a salvação: “A obra da igreja é pregar o Evangelho a toda a criatura (Mt 28.19,20), e explanar o plano da salvação tal qual é ensinado nas Escrituras. Cristo tornou acessível a salvação por provê-la; a igreja deve torná-la real por proclamá-la.”. Paulo viveu plenamente o “Ide” do Senhor Jesus Cristo. Ele ia ao encontro das pessoas, não perdia oportunidades: “E, enquanto Paulo os esperava em Atenas, o seu espírito se comovia em si mesmo, vendo a cidade tão entregue à idolatria. De sorte que disputava na sinagoga com os judeus e religiosos, e todos os dias na praça com os que se apresentavam.” (At 17.16,17). O apóstolo disputava todos os dias! A palavra “disputar” neste contexto significa despender esforços para obter algo desejado. E o que Paulo desejava? Proclamar o “Ide” e ver almas libertas do poder do pecado vivendo em comunhão com Deus por meio do sacrifício vicário de Jesus Cristo. Era por esse motivo que seu coração se comovia. Precisamos ter um coração que se comove e se move em busca de estratégias de evangelismo por amor às vidas. Em 1Coríntios 1.17, o apóstolo Paulo afirmou que Cristo o enviou para evangelizar, não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã. Deus quer de nós nossa disponibilidade, porque é Ele quem instrumentaliza!

4.2 Evangelização nas grandes cidades hoje. “Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos.” (Zc 4.6b). Este versículo deve estar cravado em nossos corações, porque neste mundo relativista, onde os valores estão invertidos e se propaga que não existe verdade absoluta, a Igreja do Senhor de maneira inteligente e com fundamentação bíblica, deve estar alinhada com o Espírito Santo para levar a Palavra de Deus e evitar entrar “(...) em questões loucas, genealogias e contendas e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs” (Tt 3.9). Na evangelização de uma área urbana, devemos escolher pontos estratégicos: avenidas, praças, terminais de ônibus, trens e metrôs para o evangelismo pessoal, como também fazer uso de outdoors, programas de televisão e rádio, levando em consideração um aspecto importantíssimo: sabedoria do Alto (Tg 3.17) porque ela é pura, moderada, tratável, cheia de misericórdia e bons frutos, sem hipocrisia.

4.3 IEADPE e as estratégias de evangelismo nos centros urbanos. O Evangelho é simples, por isso também é considerado loucura para o homem natural (1Co 1.18). E foi com a Mensagem da Cruz que os missionários Joel e Signe Carlson iniciaram os trabalhos em Pernambuco há 99 anos. Mal sabiam falar português e a pregação era a leitura da Palavra até dominarem a língua de maneira que pudessem pregar com mais desenvoltura em nosso idioma. Que simplicidade, coragem e ousadia no Espírito! Isso é amor por Deus, pela Igreja, pelas almas!

Hoje, a IEADPE continua o trabalho colocado pelo Senhor nos corações dos missionários utilizando estratégias diversas para alcançar o maior número de almas para o Reino. Atualmente, Deus tem levantado o Pastor presidente Ailton José Alves. “Seu pastorado (...) tem sido pontuado por diversos empreendimentos, como, por exemplo, a utilização da mídia para a propagação da Palavra de Deus, através da Rede Brasil de Comunicação. O trabalho missionário tem se expandido (...), e hoje, a IEADPE se faz presente em vários países, com mais de 70 templos espalhados pelo mundo. O trabalho social da Igreja – Fundação AIO de Educação e Assistência Social, Projeto Samuel e NAAF (Núcleo de Assistência e Aconselhamento à Família) – é reconhecido pela sociedade pernambucana (...). A expansão dos trabalhos, tanto na capital como no interior do Estado, é evidenciada pelo acréscimo de templos e salões locados (...). Sua visão aguçada em relação às atividades eclesiásticas deu início a trabalhos inovadores, como coordenação de uniões de adolescentes, o PROATI (Programa de Apoio à Terceira Idade), o Departamento da Família, entre outros. Também foram inseridos vários eventos no calendário da Igreja, entre eles o congresso de mulheres, congressos de adolescentes, de jovens (...). Vislumbram-se novos desafios missionários, a colheita de muitas vidas para Cristo, a evangelização de lugares não alcançados, novas conquistas na área de comunicação, realização de cruzadas evangelísticas, edificação de novos templos, ampliação das obras sociais e a formação de novos obreiros.” (Adaptação do texto do site da IEADPE, 2014).

CONCLUSÃO

Aplicado(a) professor(a) da EBD, termine a aula destacando a necessidade de cada jovem crente buscar ao Senhor, porque à medida que nos aproximamos de Cristo mais O amamos e mais desejamos levar à Mensagem da Cruz a todos que estão em trevas para que eles também alcancem, pela graça e misericórdia de Deus, a salvação de suas almas já garantida por Jesus na Cruz do Calvário. Evidencie que Deus vai nos capacitando e nos dando estratégias de evangelização, porém temos que estar dispostos, inclusive a utilizar as redes sociais e aplicativos como ferramentas para expansão do Evangelho de Cristo.

REFERÊNCIAS

• IEADPE. Disponível em: <https://www.ieadpe.org.br/index.php/a-instituicao/historia> Acesso em: 01 de Nov. 2017.

• PEARLMAN, Myer. Conhecendo as doutrinas da Bíblia. Editora Vida, 2006.

• Revista Lições Bíblicas. O Desafio da Evangelização, Obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as Boas-Novas a toda criatura. Lição 05 – A Evangelização urbana e suas estratégias. Editora CPAD. Rio de Janeiro – RJ.

• SAGRADA, BÍBLIA. Bíblia Círculo de Oração. Almeida Revista e Corrigida. Rio de Janeiro: CPAD, 2012.

COLABORAÇÃO PARA O PORTAL ESCOLA DOMINICAL (FORNECIMENTO DO MATERIAL) - PROF. ARTUR RIBEIRO

Copyright © 2003 - 2021 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.