Juvenis

Lição 3 - Conhecendo o caráter de Jesus II

CASA PUBLICADORA DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

SEGUNDO TRIMESTRE DE 2020

Juvenis: Jesus e o reino de Deus

COMENTARISTA: MARCOS TEDESCO

COMENTÁRIO: PROF. MARCELO OLIVEIRA DE OLIVEIRA

LIÇÃO Nº 3 – CONHECENDO O CARÁTER DE JESUS

ESBOÇO DA LIÇÃO

1. O CARÁTER DE JESUS E SUA MISSÃO

2. QUEM É O TEU PRÓXIMO

3. PAI E FILHO, UMA RELAÇÃO QUE NOS INSPIRA

4. MAS, NÓS TEMOS A MENTE DE CRISTO

OBJETIVOS

Descrever os traços do caráter de Jesus;

Impelir o aluno a conhecer o seu ‘próximo’;

Expor a relação entre Deus Pai e Jesus.

Quem pode conhecer em profundidade o caráter de Jesus? Uma pessoa que não cabe no imaginário humano. Jesus é simplesmente o que mais de espetacular aconteceu na história do mundo. É impossível ficar indiferente a Ele, principalmente, quando conhecemos o seu caráter conforme os Evangelhos nos revelam. Nesse aspecto, é importante vermos o caráter de Jesus manifestado em três tópicos: sua humildade, seu ensino exemplar e sua coerência. Ação e discurso eram coisas indissociáveis no ministério de Jesus. Por isso, disponibilizamos uma reflexão que muito ajudará o prezado professor, e a prezada professora, na preparação de sua aula:

1. O caráter de Jesus evidenciado em suas ações e postura

1.1 – A humildade de Jesus. No chamado hino cristológico de Filipenses 2.5-11, vemos que Jesus, mesmo sendo divino, não se apegou a sua igualdade com o Pai, mas esvaziou-se de forma voluntária e sacrifical, assumindo a condição de servo, tornando-se como nós. Depois de tornar-se como um de nós, humilhou-se e submeteu-se à morte de cruz que era uma das piores formas de execução do mundo antigo (Dt 21.22,23). Além disso, durante o tempo de sua vida terrena, como filho, foi obediente aos seus pais (Lc 2.51), como adulto, soube reconhecer o ministério de seu primo, João Batista (Mt 3.13,14), e foi igualmente responsável com questões cívicas (Mt 17.24-27; 22.15-22). O simples fato de abrir mão dos traços dos reis conquistadores do mundo antigo, apresentando-se simples, como uma pessoa do povo e sem exigir nenhum tratamento especial, foi o motivo de Jesus ser rejeitado pelo seu povo, porém, é justamente nessa sua atitude que vemos a grandeza, pois quando poderia coagir a todos para que nEle cressem, não o faz, mas oferece amor deixa-nos livres para optar por segui-lo.

1.2 – O ensino “exemplar” de Jesus. Ao introduzir a narrativa do famoso “Sermão da Montanha”, Mateus diz que Jesus “abrindo a sua boca os ensinava” (Mt 5.2). Tal informação, a despeito de em outras versões não aparecer tal expressão, poderia levar alguém a pensar: “Mas há outra forma de ensinar, a não ser falando?”. Sim, há. E muitas lições de Jesus foram ensinadas no silêncio de suas ações e postura (Jo 8.2-11; 13.1-17).

1.3 – A coerência de Jesus. Não havia dissociação entre o que Jesus falava e fazia, ou entre o que praticava e dizia. Como disseram os vacilantes discípulos saindo de Jerusalém em direção à aldeia de Emaús, “Jesus, o Nazareno, [...] foi um profeta poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo” (Lc 24.19). Em outras palavras, Jesus era coerente, pois Ele tanto fazia, ou seja, praticava, quanto ensinava (At 1.1). Muito diferente dos líderes religiosos e ensinadores de Israel que, conforme dissera o próprio Jesus, diziam, mas não praticavam e nem viviam o que ensinavam (Mt 23.3). Na verdade, revelou o Mestre, aqueles homens amarravam fardos pesados e difíceis de carregar, e colocava-os nos ombros do povo, mas eles mesmos não se dispunham a movê-los nem sequer com um dedo (Jo 23.4). (CARVALHO, César Moisés. Revista Discipulando: Conhecendo Jesus e o Reino de Deus. Ciclo 1. Rio de Janeiro: CPAD, 2015, p.19).

Fonte: http://www.escoladominical.com.br/home/licoes-biblicas/subsidios/juvenis/325-licao-3-conhecendo-o-carater-de-jesus.html Acesso em 06 abr. 2020

Copyright © 2003 - 2020 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.