Adolescentes

Lição 5 - A paganização do Cristianismo II

CASA PUBLICADORA DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

QUARTO TRIMESTRE DE 2020

Adolescentes: História da igreja para adolescentes

COMENTARISTA: SÉRGIO DE MOURA ANDRÉ

COMENTÁRIO: FLAVIANNE VAZ

LIÇÃO 5 - A PAGANIZAÇÃO DO CRISTIANISMO

4º Trimestre de 2020

TEXTO BÍBLICO: 2 Timóteo 3.1-5

DESTAQUE: “Pois o soldado quando está servindo, quer agradar o seu comandante e por isso não se envolve em negócios da vida civil.” (2 Timóteo 2.4)

OBJETIVOS:

# Destacar as conquistas do cristianismo após o fim da perseguição e os males decorrentes da mistura entre Igreja e Estado que ocorreu em seguida, ainda durante o Império Romano;

# Ressaltar que a Igreja Católica Romana foi criada com a oficialização do cristianismo como religião do Império Romano;

# Enfatizar que a Igreja deve influenciar o mundo e não o contrário.

Olá Caro(a) Professor(a),

Na lição de hoje, veremos que a Igreja do Senhor enfrentou um momento muito difícil de deterioração espiritual. Após o período dos apóstolos, muitos ensinamentos não foram preservados, pois os novos mestres que surgiram passaram a introduzir certos dogmas e doutrinas que não correspondiam às verdades bíblicas.

Os apóstolos Paulo, Pedro e João, por intermédio de suas Cartas, e até mesmo o próprio Senhor Jesus, predisseram que esse tempo havia de chegar. Surgiriam falsos obreiros, os quais introduziriam heresias entre o povo de Deus e os crentes deveriam estar atentos para não serem enganados.

Mas, esse quadro degenerativo da igreja não esteve delimitado ao período pós-apostólico, visto que até os dias atuais é notável o desvio da verdade em várias igrejas que se intitulam proclamadoras da Palavra de Deus.

Assim também, a verdadeira Igreja de Cristo, que preza pela Bíblia Sagrada como única regra de fé, não pode se dobrar diante do desvio da verdade e permitir que as falsas doutrinas prevaleçam sobre as verdades bíblicas.

As palavras do apóstolo Pedro retumbam sobre os dias atuais. Diga-se de passagem, nunca se ouviu de um tempo de tantas heresias sendo proclamadas como se vê nos dias de hoje. Quanto a isso, vale ressaltar as medidas de precaução anunciadas pelos apóstolos: vigiar e perseverar na doutrina dos apóstolos. A Bíblia de Estudo Pentecostal (1995, pp. 1949-50) discorre sobre as palavras de Pedro, expostas no capítulo dois de sua segunda carta:

Entre vós haverá falsos mestres. O Espírito Santo adverte repetidas vezes nas Escrituras que surgirão muitos falsos mestres dentro das igrejas. As advertências a respeito de mestres e líderes introduzindo heresias no meio do povo de Deus foram feitas antes por Jesus (ver Mt 24.11 nota; 24.24,25), e o Espírito Santo continuou advertindo através de Paulo (ver 2 Ts 2.7 nota; 1 Tm 4.1 nota; 2 Tm 3.1-5), de Pedro (vv. 1-22), de João (1 Jo 2.18; 4.1; 2 Jo 7,11), de Judas (Jd 3,4,12,18) e das cartas de Cristo às sete igrejas.

Negarão o Senhor que os resgatou. De conformidade com Pedro, os falsos mestres dentro da igreja que estavam ‘negando (gr. arneomai= repudiar ou renunciar) o Senhor que os resgatou’ tinham abandonado o caminho certo e se desviado (v. 15), tornando-se ‘fontes sem água’ (v. 17). Antes, eles tinham se livrado da maldade do mundo, mediante Jesus Cristo, mas agora voltaram a emaranhar-se no pecado (v. 20).

Será blasfemado o caminho da verdade. Muitos crentes professos seguirão esses falsos pregadores, com suas ‘dissoluções’ (isto é, imoralidades sexuais). Por causa da vida pecaminosa desses líderes e seus seguidores, Deus e seu evangelho serão inflamados (ver 2Tm 4.3,4 nota).

Por avareza... palavras fingidas. Os falsos mestres comercializarão o evangelho, sendo peritos na avareza e em conseguir dinheiro dos crentes, a fim de promover ainda mais seus ministérios e seus modos luxuosos de vida.

(1) Os crentes devem estar cientes de que um dos métodos principais dos falsos ministros é usar ‘palavras fingidas’, ou seja, contar histórias impressionantes, mas inverídicas, ou publicar estatísticas exageradas a fim de motivar o povo de Deus a contribuir com dinheiro. Glorificam a si mesmos e promovem seu próprio ministério com esses relatos inventados (cf. 2 Co 2.17). Deste modo, o crente sincero, mas desinformado, torna-se um objeto de exploração.

(2) Pelo fato de esses obreiros profanarem a verdade de Deus e fraudarem o seu povo com sua cobiça e engano estão destinados à perdição e à destruição.

- Considere as afirmativas apresentadas neste artigo e converse com seus alunos a respeito dos falsos ensinamentos que têm entrado nas igrejas nos dias atuais. Pergunte se eles conseguem identificar quando o ensinamento não está de acordo com os princípios da Palavra de Deus. Divida a classe em grupos, entregue uma folha de papel A4 para cada grupo e peça que identifiquem as seitas ou até mesmo “igrejas” que pregam falsas doutrinas. Peça também que listem os ensinamentos que identificam essas instituições como anunciadoras de heresias. Você poderá ajudar os alunos a formular as respostas.

Boa aula.

Fonte: http://www.escoladominical.com.br/home/licoes-biblicas/subsidios/adolescentes/2221-li%C3%A7%C3%A3o-5-%E2%80%93-a-paganiza%C3%A7%C3%A3o-do-cristianismo.html Acesso em 28 out. 2020

Copyright © 2003 - 2020 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.