Adolescentes

Lição 5 - No pecado, um problema I

ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO NO IPIRANGA - SEDE - SÃO PAULO/SP

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

SEGUNDO TRIMESTRE DE 2021

Adolescentes: Cremos

Comentarista: MARCELO OLIVEIRA DE OLIVEIRA

LIÇÃO Nº 5 – NO PECADO, UM PROBLEMA

Objetivo

Professor (a) ministre sua aula de forma que possa conduzir seus alunos a conscientizar-se quão grave são as consequências do pecado para a humanidade.

Para refletir

“pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus". (Rm 3.23 - NVI).

Texto Bíblico: Gn. 3.1-19.

A tentação e a queda

A origem do pecado (Ez 28.15,16)

O pecado não é eterno como querem alguns afirmar. O dualismo cósmico, afirma que há dois princípios auto-existentes e eternos: o bem e o mal. Já o maniqueísmo afirma que o pecado sempre existiu, o bem e o mal tem estado em conflito um com o outro definitivamente.

Estes pontos de vista surgiram das dificuldades de explicar a origem do pecado em conexão com a crença de um Deus onipotente e santo. As conseqüências destas teorias fazem de Deus um ser finito e dependente. Não pode haver duas coisas infinitas na mesma categoria, Deus não pode ser soberano se há algo que ele não possa ter criado. Baseado nestas teorias, o pecado perde o conceito de mal, logo o homem esta excluído de quaisquer responsabilidades direto na pratica do pecado.

O pecado não tem origem na limitação do homem, aquilo que a teoria do mal metafísico quer afirmar que Deus ao criar o homem deixou nele um espaço imperfeito. E que nesse espaço imperfeito deu a origem do pecado, isto não é verdade. Afirmam que Deus sendo perfeito não poderia ter criado outro ser perfeito, pois caso tivesse assim acontecido, o homem seria um outro deus.

O pecado por sua vez também não é uma antítese do bem, os adeptos das teorias citadas, afirmam que não poderíamos conhecer o bem moral se não conhecêssemos o mal moral. As fontes do pecado não estão nos órgãos dos sentidos humanos, embora eles sejam usados como instrumentos da natureza carnal no ato do pecado. Mas afinal onde o pecado teve a sua origem?

O pecado surge no coração de Lúcifer (Ez 28.15; Jo 8.44), isso aconteceu num tempo muito remoto, do qual não sabemos precisar. No tempo em que Deus criou o homem, não sabemos por quanto tempo ele tenha vivido na inocência. Satanás, o ser que cedeu o coração para que ali se desse inicio o pecado, aproveitou a oportunidade e seduziu Eva, mulher criada por Deus, para viver no Paraíso, que consequentemente seduziu ao marido. E ai tem a mais triste historia: “A queda do homem” (Rm 5.12)

O pecado entre os seres humanos se originou num ato livre de Adão. A Bíblia enfatiza o livre arbitro humano, como originador do pecado na esfera humana. O homem foi criado livre para escolher entre o bem e o mal, infelizmente ele escolheu o mal. (Gn 2.16,17).

Termos bíblicos que definem a palavra pecado

O que é pecar? Hoje este conceito está levando um nome diferente, Davi quando procurou acertar sua situação diante de Deus, não disse: “Deus eu estou com um problema”. Ele afirmou diante da congregação de Israel: “Eu pequei”

Geralmente o adolescente vem com a sua genitora, ela aborda o pastor e diz: “pastor, meu filho(a), esta com problemas. Que tipo de problemas? Financeiro, amoroso, desempregado..., não, é que ele pecou. Mas o pecado não é um problema a se resolver com um conselho na secretaria da igreja, é necessário confissão e perdao. O pecado rompe o nosso relacionamento com Deus, impossibilita-nos de buscá-lo, de adorá-lo, enfim nos leva para longe de Deus. enquanto que o problema em si dependendo nos aproxima mais de Deus.

Encontramos algumas palavras gregas que define o que é pecado.

• Hamartia – vem daí a palavra “hamartiologia”, a palavra “hamartia”, significa: “errar o alvo” (1Co 6.18; Jo 8.7; Mc 8.38; Mc 12.39).

• “Parabasis” – significa; “ir para o lado; desviar-se; transgredir; excessos; inflação” (Rm 1.18; 3.20; 1Jo 3.4)

• “Paraptoma” – significa: “apostatar-se; ser infiel” (Hb 6.6)

• “Anomia” – significa: “tudo o que é ilegal; contra a lei”

• “Adikia” – significa: “lesar; danificar; possuir de forma ilegal; falar mal de alguém” (Pv 6.17; 1Sm 3.13,14; Lc 10.19; At 25.10,11; 2Co 7.2; Cl 3.25)

Enfim toda a negligencia com os deveres cristãos é pecado. Tudo aquilo que ofende a moral, os costumes a decência, teve origem em Satanás, antes Querubim Ungido (Jo 8.44; Ez 28. 15,16)

Consequências do pecado

A partir da queda do homem, o pecado entrou no mundo de forma avassaladora. O homem passou a ser escravo do pecado, seu cotidiano é recheado de conversas vãs, desprezo pelos outros, pensamentos insensatos, incredulidades, transgressões, injustiças e todo tipo de desobediência. E tantos outros adjetivos que poderiam ser citados, porem com esses da para se ter um panorama do que é pecado.

O pecado e seus efeitos (Sl 6.2,3)

1 – Quando de natureza envolvente

a) Somente o individuo que praticou.

b) Pode envolver uma segunda pessoa.

c) Pode envolver diversas pessoas.

2 – Pecados que levam a morte.

a) Tomar ceia indignamente (1Co 11.28-30) – “morte espiritual”

b) Menosprezar os privilégios divinos (Hb 12. 15-17)

c) Desrespeitar as ordens dos homens de Deus (2Rs 5.20-27)

d) Esconder o pecado (Js 6.16-18; 7.1; 16-25)

e) Os que se constituem juízes, baseados em auto-santidade (Rm 14.10-12)

3 – O pecado mata seus escravos (Rm 6.16)

a) Morte natural – pessoas que cometem algo ilícito e perdem a vida em conseqüência do ato praticado.

b) Morte espiritual – pessoas que não confessam seus pecados e com o tempo se esfriam e morrem espiritualmente, pode ressuscitar com o ouvir da palavra de Deus.

) Morte eterna – pessoas que morrem em pecado, depois da morte não há mais como confessar e deixar segue-se o juízo.

O pecado deixa marcas (Pv 14.34), trás como conseqüência a morte, não é hereditário (Dt 24.16), nem sempre o pai é culpado pelo pecado dos filhos. O juiz Eli, era conivente com os pecados dos filhos, enquanto que Samuel não é cobrado por ter filhos tão malignos (1Sm 8.1-22). Os filhos de Core não seguiram o pai na divisão (Nm 26.11), por esta razão não morreram. É exatamente o que a Bíblia diz (Ez 18,20), aquele que comete pecados fica como que preso em cordas (Pv 5.22,23). O pecado com certeza trás sobre o ser humano castigos (Os 9.9), pois o pecado é a fonte de tristezas (Sl 38.18).

Graças a Deus que existe uma fonte purificadora e removedora (Zc 13.1), basta ao homem reconhecer que é pecador e precisa de Deus. Jesus disse: “Eu sou a verdade”, quem conhece a verdade, jamais pode viver uma vida de mentira, de engano. Jesus Cristo é a única fonte da verdade, quem aceita a verdade, não tem relacionamento com o mundo de pecados. Abandona os velhos costumes, não vive pecando praticará sempre o bem e vence sempre o mal (Rm 12.21).

CONCLUSÃO

O pecado ao entrar no mundo trouxe a morte, Jesus veio e ao ressuscitar da morte, tornou-se o vencedor da morte, abrindo a oportunidade de vida para a humanidade. Portanto como pecadores os homens precisam reconhecer ter tristeza pelo pecado e abandonar o pecado (Sl 51).

Fontes Consultadas:

BÍBLIA. Português. Bíblia Shedd. Tradução João Ferreira de Almeida, Revista e Atualizada. 2ª Edição, São Paulo, Editora Vida Nova, 1997.

BÍBLIA. Português. Bíblia de Estudo Pentecostal. Tradução João Ferreira de Almeida, Revista e Corrigida. Rio de Janeiro, Editora CPAD, 2002. Editor geral Donald Stamps, Editor brasileiro Pr. Antonio Gilberto.

NOVO TESTAMENTO Interlinear grego-portugues. Barueri, SP. Socierdade Bílica do Brasil, 2004.

ELWELL, Walter A. Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã. São Paulo, Reimpressão em 1 volume, 2009.

HORTON, Stanley M.. Teologia Sistemática. CPAD.

Colaboração para o Portal Escola Dominical - Profª. Jaciara da Silva

Copyright © 2003 - 2021 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.