Adolescentes

Lição 3 - Em Jesus Cristo, o nosso Salvador I

ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO NO IPIRANGA - SEDE - SÃO PAULO/SP

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

SEGUNDO TRIMESTRE DE 2021

Adolescentes: Cremos

Comentarista: MARCELO OLIVEIRA DE OLIVEIRA

COMENTÁRIO: Profª. JACIARA DA SILVA

LIÇÃO Nº 3 – EM JESUS CRISTO, O NOSSO SALVADOR

Texto Bíblico: Jo. 1.1-18.

Objetivos

Professor ministre sua aula de forma a conduzir seu aluno a compreender que Jesus é nosso Salvador. Viveu como ser humano comum, morreu e res.suscitou para nos redimir de nossos pecados

Para refletir

“Daí em diante Jesus começou a anunciar a sua mensagem. Ele dizia: — Arrependam-se dos seus pecados porque o Reino do Céu está perto!” (Mt 4.17 – NTLH)

No original grego, este texto “o Reino do Céu está perto” denota “chegou”, “aproximou-se”, “está perto” no tempo e no espaço. Era o ponto vital na historia da redenção, o cumprimento de tudo aquilo que é o Reino Deus. Neste momento, ou seja, na plenitude dos tempos, formar- se ia “um povo especialmente” para Deus mediante a Obra de Cristo. Nesta declaração de Jesus fica patente, que manifesta-se agora a Presença de Deus entre os homens pela Pessoa de Jesus. E Jesus entende agora o convite aos homens para aceitar ou rejeitar o Senhorio de Deus em suas vidas.

Introdução

“... Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho (as Boas Novas) do Reino de Deus.” (Mc 1.14b ARC).

Quais são as Boas Novas de Deus. As primeiras palavras ditas por Jesus, registradas nesta passagem em Marcos, nos mostra a essência dos ensinamentos de Jesus. O Messias tão esperado chegou para aniquilar o poder do pecado e fundar o reino de Deus na terra.

A maioria das pessoas que ouviam sua mensagem era pobre, estava oprimida e sem esperança. As palavras de Jesus representavam as Boas Novas porque ofereciam liberdade, justiça e esperança.

O 1º milagre de Jesus

O Evangelho segundo escreveu João, nos dá esta informação de que o Senhor Jesus “principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia e manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram Nele.” (Jo 2.11 - ARC)

No casamento em Caná, vilarejo localizado na Galiléia (embora sua posição exata seja desconhecida), estavam presentes: Jesus, sua mãe e os discípulos.

Na época de Jesus, a comemoração de um casamento podia até durar uma semana. E faltar vinho era uma situação embaraçosa e um ofensivo sinal de falta de hospitalidade por parte do anfitrião.

Jesus mandou os criados encherem seis talhas de pedra com água, estas talhas geralmente eram feitas de barro, mas havia algumas que eram feitas de pedra. O volume de água de uma talha variava entre “duas ou três metretas”, ou seja, cerca de 40 à 60 litros. Os judeus usavam água nos rituais de purificação, e essas grandes talhas, provavelmente armazenavam água para esse fim.

Cheias as talhas, Jesus transformou a água em vinho, e manda um dos criados levar uma amostra ao chefe dos copeiros do banquete, que fica muito admirado, pois o vinho era muito superior ao já consumido

O poder de Jesus

Através de Adão entrou o pecado ao mundo, e o pecado trouxe a morte. Todos morrem, porque todos pecam (Rm 5.12). O pecado já existia antes da Lei dada por intermédio de Moisés, provando que já havia lei governando todos os homens (Rm 5.1314).

A morte já reinou de Adão a Moisés, mostrando que Deus levou em conta o pecado naquela época. Mas, os pecados dos outros não eram o mesmo cometido por Adão. Ele violou uma lei (Gn 2.1617) ; eles violaram outras.

Adão “prefigurava aquele que havia de vir” (Rm 5.14). Pelo ato único de violar uma lei especial, ele trouxe conseqüências sobre todos. Jesus, como Paulo mostra nos versículos seguintes, por um ato único de obedecer o Pai, trouxe bênçãos para todos.

Como a ofensa trouxe a morte a muitos, o sacrifício de Jesus trouxe a vida a muitos (Rm 5.15).

Poder de Jesus Vivo fica-nos evidente neste texto de Rm 5.1,2:

“Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo; pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.”

O pecado nos separou de Deus. Agora o resultado da nossa justificação é a comunhão e a paz com Ele (v.1). Por intermédio de Jesus, temos a esperança da glória de Deus (v.2).

Temos convicção da esperança, porque ela se baseia em Deus (vs.58):

• Deus derramou o seu amor (v.5)

• O Espírito Santo revelou este amor (v.5)

• Cristo morreu por nós quando éramos ainda pecadores (vs.68)

• Na morte de Jesus, o amor de Deus foi revelado (v.8).

Que amor sobrenatural! Mesmo sendo nós pecadores, e muitas vezes lutando contra a santidade e a bondade de Deus, recusando-nos a obedecê-Lo Cristo morreu por nós.

Preste atenção nesses versículos. O ensinamento de Paulo aqui conforta e anima o servo de Deus.

No passado, Cristo demonstrou seu poder para salvar os pecadores (inimigos) pela sua morte. No presente, Ele demonstra ainda mais poder para salvar os justificados (reconciliados) pela sua vida. Paulo não vê a obra redentora de Cristo como apenas o sacrifício feito na cruz. Jesus vive e age ao nosso favor. Ele é nosso Advogado (1 Jo 2.1) e intercede por nós.

Jesus morreu para nos salvar, e vive para nos salvar. Aleluia!

O ensino de Jesus

Jesus possuía uma autoridade incomparável e que o diferenciava dos escribas e rabinos de seu tempo. Bruce Barton disse: “Este mestre era diferente (...) sua própria palavra era suficiente”.

Jesus em seu ministério terreno conhecia a natureza humana. Essa é uma qualificação importantíssima, uma vez que para aplicar a Bíblia à vida do aluno, há a necessidade de conhecê-lo muito bem, pois as Escrituras foram dadas “para ensinar, corrigir, disciplinar e educar na justiça, para que o homem de Deus seja perfeito” (2 Tm 3.16,17).

O professor (a) precisa compreender a vida humana e seus problemas para aplicar o remédio biblico de forma precisa. É imprescindível que você conheça seus alunos.

Jesus conhecia o ser, o sentir e o pensar humano. Ele não só percebia os defeitos e dificuldades, mas tinha a serenidade para não discriminar e prover o suprimentos destes.

Jesus, literalmente, ao assumir a natureza humana se tornou o seu legítimo representante. Ele não se tornou pecador para redimir os pecadores mas, na condição de advogado e justo, pode justificar a muitos (I Jo 2.1). Ele pôde entender e perdoar a mulher pega em flagrante adultério.

A substituição, ou o colocar-se no lugar de outro, só é possível com a prática do amor.

O apóstolo Paulo nos ensina em I Coríntios 13:1 que o homem pode ter e fazer todas as coisas, mas se não tiver amor nada se aproveita. O professor (a) precisa conhecer a realidade de seus alunos, sua visão sobre as coisas e, sobretudo colocar-se no mesmo patamar para ser ouvido e entendido por seus alunos.

O processo de ensino de Jesus variava de acordo com a situação. Seu ensino era pautado nas experiências da vida. Junto ao poço de Jacó ele tem um encontro com uma mulher samaritana e a ensina sobre a água viva (seu Espírito) que jorraria para a vida eterna. (Jo 4.515).

Jesus vivia o que ensinava, era diferente dos fariseus que ensinavam, mas não praticavam.

“Porque Ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas.” (Mt 7.29)

“Maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas.” (Mc 1.22).

Quando o professor aborda assuntos da vida das pessoas ele estabelece uma ponte com a mente do aluno e as palavras devem estar associadas à ação.

Jesus nunca se esqueceu dos problemas de seus ouvintes e sempre buscou resolvê-los, para fazer deles discípulos felizes e unificados. Seu ensino é essencial e inteiramente ocasional era tirado de emergências do dia e da hora, do contato com o povo, de conversas e incidentes.

A ênfase dada por Cristo era sobre a própria vida e não sobre coisas materiais. Sem contar o famoso sermão das Bem-aventuranças. A maior parte dos seus ensinos registrados era para ajudar indivíduos a resolverem problemas específicos que os desafiavam.

Conclusão

Assim o Senhor Jesus “iniciou sua carreira” terrena. Em seus ensinos, combatia o pecado, especialmente a hipocrisia e a crueldade para com os fracos, mas não desprezava os pecadores: estava sempre disposto a curar e a perdoar, mesmo antes que as pessoas se mostrassem arrependidas.

Para Jesus, o poder de Deus era maior que o pecado, e Ele ensinava que o arrependimento e a fé podiam salvar os homens.

A quem quisesse segui-LO, Jesus oferecia normas de vida. Ele ensinava as pessoas a amarem a

Deus e aos seus semelhantes com toda a força de seus corações e de suas mentes. Frisava que cada pessoa deveria tratar as outras como gostaria de ser tratada por elas. “E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira fazei-lhes vós também.” (Lc 6.31).

Em uma época e em uma região em que vigorava a chamada Lei do “olho por olho, dente por dente” – Jesus pregava o perdão entre os seres humanos. E isso não é diferente hoje. Todos fomos “chamados para fora” do mundo, ou seja, estamos nos mundo mas não devemos viver como vivem as pessoas do mundo, que não têm compromisso com Deus, e que ainda não conhecem a salvação através de Jesus Cristo.

Em sua oração sacerdotal Jesus diz:

“Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo.” (Jo 17.14).

Portanto sejamos sóbrios, eis que a volta de nosso Senhor Jesus está perto, não há mais tempo de “brincar” de ser crente.

Professor (a), ensine a Palavra de Deus como ela é, não coloque chavões, ou retóricas humana, somente ensinando a Palavra de Deus de forma pura, é que o Espírito Santo poderá alcançar os corações de seus alunos e transformá-los.

Procure conhecer o Autor da Bíblia, ame-O, e sirva-O com todo o seu coração.Somente quem conhece O Pastor do Salmo 23, e que pode descrever com exatidão a felicidade de tê-Lo como Pastor, como falará que Ele te conduz se não se deixa conduzir por Ele?

Reflita sobre a missão que Deus te confiou, e entregue-se Àquele que te chamou, assim Ele te capacitará para esta tão sublime missão – ser mestre. E você aprenderá com o Mestre dos mestres. Daí por diante, seus alunos O conhecerão e você verá frutificar seu trabalho.

Deus abençoe sua vida.

Colaboração para o Portal Escola Dominical – Profa. Jaciara da Silva

Copyright © 2003 - 2021 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.