Adolescentes

Lição 13 - Glória a Deus pela família! I

ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO NO IPIRANGA - SEDE - SÃO PAULO/SP

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

SEGUNDO TRIMESTRE DE 2020

Adolescentes: A família cristã

COMENTARISTA: JÔNATAS PACHECO

COMENTÁRIO: PROFª. JACIARA DA SILVA

LIÇÃO Nº 13 – GLÓRIA A DEUS PELA FAMÍLIA!

Objetivo

Professor (a) ministre sua aula de forma que ao término, seu aluno possa conscientizar-se que a família foi instituída por Deus e como tudo que Ele faz é maravilhosamente bom e é necessário conservar.

Para refletir

"E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra”. (Gn 12.3 - ARC).

Texto Bíblico: Gn 12.1-3.

A chamada de Abraão

Moisés não nos dá todas as informações necessárias para compreendermos totalmente a importância do chamado de Abraão, mas isso está registrado na Bíblia para nós. Estêvão esclarece a época em que Abrão recebeu o primeiro chamado de Deus. Não foi em Harã, como uma leitura casual de Gênesis pode nos levar a crer, mas em Ur. Quando Estevão estava diante de seus incrédulos irmãos judeus, ele recontou a história do povo escolhido de Deus, começando pelo chamado de Abraão:

Estevão respondeu: Varões, irmãos e pais, ouvi. O Deus da glória apareceu à Abraão, nosso pai, quando estava na Mesopotâmia, antes de habitar em Harã, e lhe disse: Sai da tua terra e da tua parentela e vem para a terra que eu te mostrarei.(At 7.2-3).

Apesar de nem todos os estudiosos da Bíblia concordarem com a localização de Ur, a maioria aceita a Ur da Mesopotâmia meridional, onde costumava ser a costa do Golfo Pérsico. Embora o verdadeiro período de sua vida em Ur possa ser matéria de discussão, podemos dizer com certeza que a ostentação da cidade como uma civilização altamente desenvolvida era justificada. Existem amplas evidências de grandes fortunas, artesanato elaborado e ciência e tecnologia avançadas. Tudo isso nos diz alguma coisa sobre a cidade que Abrão recebeu ordens para deixar.

O chamado de Abrão está registrado em Gênesis 12.1: “Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei”. Em certo sentido, a ordem de Deus a Abrão foi muito específica. Ele recebeu instruções detalhadas do que precisava deixar pra trás. Ele precisava deixar sua terra, seus parentes e a casa de seu pai. Deus ia formar uma nova nação, não só dar um jeito em alguma já existente. Quase nada da cultura, religião ou filosofia do povo de Ur faria parte daquilo que Deus planejava fazer com Seu povo, Israel.

Por outro lado, a ordem de Deus também foi deliberadamente vaga. Enquanto o que precisava ser deixado pra trás ficou muito claro, o que estava por vir era dolorosamente desprovido de detalhes: “... para a terra que eu te mostrarei”. Abraão não sabia nem mesmo onde se estabeleceria. Como o escritor de Hebreus coloca: “...e partiu sem saber para onde ia” (Hb 11.8).

A fé à qual somos chamados não é em algum plano, mas em uma pessoa. Mais importante do que onde ele estava, Deus estava interessado em quem ele era, e em Quem confiava. Deus não Se preocupa tanto com geografia quanto com santidade.

As promessas de Deus a Abraão

Tecnicamente, a aliança com Abraão não se encontra no capítulo 12, mas nos capítulos 15 (versículo 18) e 17 (versículos 2, 4, 7, 9, 10, 11, 13, 14, 19, 21), onde a palavra aliança aparece. É lá que os detalhes específicos são enunciados. Aqui, no capítulo doze, são apresentadas apenas suas características gerais.

Há três promessas principais contidas nos versículos 2 e 3: uma terra, uma descendência e uma bênção. A terra, como já dissemos, está implícita no versículo 1. Na época do chamado de Abraão, ele não sabia onde ficava essa terra. Em Siquém, Deus prometeu-lhe dar “esta terra” (12.7). Até o capítulo 15 não havia uma descrição detalhada da terra que ele recebeu:

Naquele mesmo dia, fez o Senhor aliança com Abraão, dizendo: À tua descendência dei esta terra, desde o rio do Egito até ao grande rio Eufrates... (Gn 15.18)

A terra não pertenceu a Abraão em vida, conforme Deus tinha dito (15.13-16). Quando Sara morreu, ele teve de comprar um pedaço de terra para sua sepultura (23.3 e ss). Agora, aqueles que primeiramente leram o livro de Gênesis estavam prestes a tomar posse do lugar prometido a Abraão. Como deve ter sido emocionante para as pessoas dos dias de Moisés ler a promessa e perceber que o tempo de possuir a terra tinha chegado.

A segunda promessa da aliança Abraâmica era que uma grande nação viria de Abraão. Bênçãos verdadeiras não vêm do trabalho árduo e das horas penosas de labor, mas do fruto da intimidade, ou seja, dos filhos. A bênção de Abraão seria vista mais amplamente em seus descendentes. Eis o fundamento para o “grande nome” que Deus lhe daria.

Essa promessa exigia fé da parte de Abraão, pois era óbvio que ele já era idoso e Sara, sua esposa, não podia de ter filhos (11.30). Ainda se passariam muitos anos até Abraão entender totalmente que o herdeiro prometido por Deus viria de sua união com Sarai.

A última promessa era a da bênção — bênção para ele e bênção por meio dele. Muitas das bênçãos de Abraão viriam na forma da sua descendência, mas havia também a bênção que viria na forma do Messias, O qual traria salvação para o povo de Deus. A respeito dessa esperança, nosso Senhor, o Messias, disse: “Abraão, vosso pai, alegrou-se por ver o meu dia, viu-o e regozijou-se” (Jo 8.56).

Além disso, Abraão estava destinado a se tornar bênção para pessoas de todas as nações. A bênção viria por meio dele de várias formas. Quem reconhecesse a mão de Deus sobre ele e seus descendentes seria abençoado pelo contato com eles. Faraó, por exemplo, foi abençoado por exaltar José. Pessoas de todas as nações seriam abençoadas pelas Escrituras que, em grande parte, vieram pela instrumentalidade do povo judeu. Finalmente, o mundo todo seria abençoado pela vinda do Messias, O qual veio salvar pessoas de todas as nações, não só os judeus.

Conclusão

Através de Abraão a benção foi estendida às famílias de todas as nações.As famílias que perseveram na obediência a Palavra de Deus, alcançarão vitórias sobre o mundo, o mal e si mesmos.

Cada cristão recebeu uma chamada e com ela uma missão - a responsabilidade de através de sua vida, outras serem alcançadas e vir a conhecer a Deus. "Sê tu uma benção..."

Fontes Consultadas:

• Bíblia de Estudo de Aplicação Pessoal – Editora CPAD – edição 2003

• Bíblia de Estudo Plenitude – SBB/1995 – Barueri/SP

• Bíblia de Estudo Pentecostal – Editora CPAD – Edição 2002.

• Bíblia Shedd – Editora Mundo Cristão – 2ª Edição

• Bíblia de Estudo da Mulher – Editora Mundo Cristão/SBB – Edição 2003

• Dicionário Vine – Editora CPAD – 3ª Edição 2003

Colaboração para Portal Escola Dominical – Profª. Jaciara da Silva

Copyright © 2003 - 2020 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.