Adultos

Lição 7 - Ética cristã e doação de órgãos III

ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO DO BELÉM - SETOR 31 - ERMELINO MATARAZZO/SÃO PAULO-SP

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

SEGUNDO TRIMESTRE DE 2018

Adultos - Valores cristãos: enfrentando as questões morais de nosso tempo

COMENTARISTA: DOUGLAS ROBERTO DE ALMEIDA BAPTISTA

COMENTÁRIO: EV. MARCOS JACOB DE MEDEIROS

LIÇÃO Nº 7 – ÉTICA CRISTÃ E DOAÇÃO DE ÓRGÃOS

Texto: 1Coríntios 15.35-45

Introdução: A doação de órgãos, bem como a de tecidos humanos, expressa o verdadeiro amor cristão

I - DOAÇÃO DE ÓRGÃOS: CONCEITO GERAL

1. Definição de transplante.

1.1. É um procedimento cirúrgico que consiste na remoção de um órgão enfermo do corpo humano para ser substituído por outro saudável.

. Seria o último recurso para doenças terminais

. Podem ser transplantados órgãos como: coração, fígado, pâncreas, rins, pulmões, os tecidos e outros.

. O tipo mais comum é o da transfusão de sangue

. A ética cristã desaprova o uso das células-tronco embrionárias, pois este procedimento interrompe a vida do embrião. E, a vida tem início na fecundação (Jr 1.5)

2. O conceito de doação na Bíblia

2.1. Segundo a Bíblia 'mais bem-aventurada coisa é dar do que receber' (At 20.35)

. É um ato voluntário de prover o bem-estar do próximo

. É desprovido de interesse de ordem pessoal (Lc 12.43,44; At 4.36,37)

. Tem como base o 'amor' pelos outros (Rm 5.8)

. É colocar a fé em prática (Tg 2.14-17)

3. A doação de si mesmo: pertencemos a Deus

3.1. Doar-se a Deus (Sl 116.12)

3.2. A essência da adoração é doar-se a Deus (Sl 116.13)

. É uma renúncia total (1Jo 2.15-17; Rm 2.1,2)

. É um viver santo (1Pe 1.14-16)

. É a marca do verdadeiro discípulo (Lc 9.23)

. Tem como prioridade o 'Reino de Deus' (Mt 6.33)

II - EXEMPLOS DE DOAÇÃO NA BÍBLIA

1. O exemplo dos gálatas

1.1. A igreja na Galácia foi fundada por Paulo em 47-48 d.C.

. Nessa época Paulo tinha uma enfermidade não especificada (2Co 12.7)

. Orou para ser curado (2Co 12.9a)

. Quando evangelizava na Galácia, ele falou dessa enfermidade (Gl 4.13,14)

. Conjectura-se que tal enfermidade era nos olhos (Gl 6.11)

. Paulo relata que, se possível fora, os gálatas arrancariam os próprios olhos para doarem a ele (Gl 4.15)

2. O desprendimento de Paulo

2.1. Paulo é um grande exemplo de doação em prol do Reino de Deus

. Ele o fazia de boa vontade (2Co 12.15)

. Ele o fazia com alegria (At 20.24)

. Mesmo sabendo do perigo ele doava-se (At 21.8,10-13)

2.2. Paulo deixou-nos o exemplo para que o imitemos (1Co 11.1)

3. A doação suprema de Cristo

3.1. Sua morte vicária foi em favor do ser humano

. Ele o fez voluntariamente (Jo 10.18)

. Ele o fez sendo nós pecadores (Rm 5.8)

. Ele o fez para nos resgatar (1Pe 1.18-21)

III - DOAR ÓRGÃOS É UM ATO DE AMOR

1. O princípio da empatia e da solidariedade

1.1. Empatia: (1) sentir o que a outra pessoa está sentindo; 2) Colocar-se no lugar do outro (Mt 7.12)

1.2. Solidário: Apoiar e ajudar alguém num momento difícil

1.3. Quando o ser humano entende o altruísmo do auxílio mútuo, os argumentos contrários à doação de órgão perdem o sentido e a razão.

2. O princípio do verdadeiro amor

2.1. Amar a Deus e ao próximo (Mt 22.37-40)

2.2. Amar é doar-se ao próximo (Jo 15.13; 1Jo 3.16)

Conclusão: A doação de órgãos em vida, ou depois de morto, é um elevado gesto de amor. Porém, ninguém deve ser forçado à prática de tão nobre gesto.

COLABORAÇÃO PARA O PORTAL ESCOLA DOMINICAL - EV. MARCOS JACOB DE MEDEIROS

Copyright © 2003 - 2018 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.