Jovens e Adultos Betel

Lição 2 - Jovens e Adultos - Betel - O sacrifício da expiação

ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO MADUREIRA - SAMAMBAIA SUL/DF

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2018

Jovens e Adultos - Betel - Levítico: o ministério sacerdotal levítico e sua relevância para a Igreja

COMENTARISTA: FERNANDO LUIZ VIANA ALVES

COMENTÁRIO: PB. ANCELMO BARROS DE CARVALHO

LIÇÃO Nº 2 - O SACRIFÍCIO DA EXPIAÇÃO

...

INTRODUÇÃO

Os sacrifícios de animais foi instituído por Deus, eram a única forma de se aplacar a ira divina contra o pecado e aproximar o homem do seu Criador. Apesar disso, tais sacrifícios demonstraram ser ineficazes porque apenas aplacavam temporariamente a ira de Deus, mas não removiam o pecado. Sendo assim, era necessário um sacrifício único e perfeito, que propiciasse aos homens a certeza da reconciliação com Deus.

1. UMA OFERTA VOLUNTÁRIA

A oferta que agrada a Deus é aquela de livre e espontânea vontade, ou seja, tem de ser uma oferta voluntária. Aquilo que se oferta sobre alguma imposição, já não é oferta e sim uma obrigação, sendo assim, não agrada nenhumas das partes porque contraria o princípio da voluntariedade. O sacrifício oferecido a Deus só agradaria se fosse feito com alegria e total entrega. O sentido mais profundo da palavra “sacrifício” é dádiva, ou seja, um presente oferecido por amor a Deus. O holocausto era um sacrifício voluntário. Observe: “Se sua oferta for holocausto...” (Lv 1.3). Deus não quer nada forçado de ninguém, pelo contrário, Ele deseja que lhe ofereçamos nossos sacrifícios livremente.

1.1. Uma oferta de animal limpo

A separação de animais em categorias limpos e impuros veio pelo desejo soberano de Deus. Isto denota que Ele quer que seu povo viva de forma diferente dos outros povos no mundo. Preocupa-nos corretamente o pecado e seu poder destruidor. Por isso, como Igreja do Senhor precisamos fazer distinções entre o santo e o iníquo, entre o limpo e o imundo. Nossas meditações feitas no coração, podem ser representadas pelo ruminar, através da digestão do nosso alimento espiritual. Assim como a unha fendida, que denota a firmeza do nosso caminhar diante de Deus e da sociedade que convivemos.Jesus disse que somos o sal da terra e luz do mundo, (Mt 5.13,14). O sal é essencial para a comida. Sem sal, a comida fica incompleta, sem gosto e sem graça. Uma pitada de sal pode dar sabor a muita comida! O sal é tão importante que todas as ofertas de comida dedicadas a Deus deveriam ser temperadas com sal (Lv 2.13).

1.2. Uma oferta sem mancha

O animal a ser ofertado deveria ser um macho, e sem mancha, e ainda, teria de ser o melhor que ele tivesse em seus pastos. Sendo inteiramente destinado à honra Daquele que é infinitamente perfeito, ele deveria ser o mais perfeito de sua espécie. Isso apontava o poder e a pureza perfeitos que existiam em Cristo, que se ofereceu para morrer como o sacrifício perfeito, e a sinceridade de coração e a inculpabilidade da vida que deveria existir nos cristãos, que são oferecidos a Deus como sacrifícios vivos. Como o sacrifício devia ser sem mancha, perfeito, assim Cristo foi o “Cordeiro imaculado e incontaminado”, que “nos amou, e Se entregou a Si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus em cheiro suave” (1 Pe 1.19; Ef 5.2).

Para continuar lendo este artigo baixe o anexo no link abaixo.

Fonte: http://www.ebd316.com/2018/01/o-sacrificio-da-expiacao-comentarios.html Acesso em 10 jan. 2018

Copyright © 2003 - 2018 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.