Juvenis

Lição 14 - Desenvolvendo a sua salvação II

CASA PUBLICADORA DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

Juvenis: Queda e redenção

COMENTARISTA: REYNALDO ODILO

COMENTÁRIO: PROF.ª PAULA RENATA SANTOS

LIÇÃO Nº 14 – DESENVOLVENDO A SUA SALVAÇÃO

“[...] assim também operai a vossa salvação com temor e tremor” (Fp 2.12b)

ESBOÇO DA LIÇÃO

1. QUEDA E REDENÇÃO

2. DESENVOLVENDO A SALVAÇÃO

3. VIVENDO DE MODO DIGNO DA SALVAÇÃO

OBJETIVOS

Aprender que é necessário operar a nossa salvação.

Conhecer quais são as marcas de um legítimo cristão, que vive de modo digno da sua salvação.

Querido (a) professor (a), chegamos ao final de mais um trimestre e que tema especial pudemos estudar ao longo desse período. Você foi usado por Deus para semear uma preciosa semente. Não turbe o sue coração, pois o vingar dela, da germinação ao crescimento, é com o Senhor de tudo (1 Co 3.7). Apenas seja perseverante!

A faixa etária de seus juvenis é quando muitos tomam a decisão não apenas de aceitar o presente da vida eterna em Cristo, como também de se esforçar para viver de modo condizente com ele. É muito importante explicá-los que não há absolutamente nada que possamos fazer ou deixar de fazer para nos tornar merecedores de tal dádiva, que é favor totalmente imerecido (Ef 2.8,9).

Muitos tentam fazer os juvenis serem obedientes à Palavra e conduta cristã por meio de ameaças, medo de irem para o inferno ou mesmo de receberem alguma punição por parte de Deus ainda hoje, no presente. Quem nunca ouviu um crente dizer: “Deus vai pesar a mão sobre você”? A verdade é que todo esse discurso nada tem a ver com os do próprio Jesus (Mt 11.30). Sobretudo tratando-se de fidelidade, não há coisa alguma mais poderosa do que o amor, gratidão e respeito, muito menos o medo. Como o apóstolo dos gentios bem disse, sem amor, NADA – por mais grandioso ato de fé e obediência que pareça –, tem qualquer proveito aos olhos do Todo-Poderoso (1 Co 13.1-3).

Se nem nós, seres humanos, queremos ser “amados” ou mesmo receber qualquer “afeto” por causa do medo ou interesse alheio em conseguir algo de nós, imagina o Senhor?!

A fim de lhe preparar ainda mais e inspirar para tal conversa com os seus juvenis, segue abaixo um artigo do nosso saudosíssimo Pr. Antônio Gilberto, publicado outrora no CPAD News.

A Doutrina da Salvação

A salvação é uma obra inteiramente independente de nossas obras, esforços e méritos. Contudo, o homem tem certas condições a cumprir. Essas condições são a fé, o arrependimento e a confissão.

Fé é a confiança em Deus. Ela se ocupa com Deus, assim como o arrependimento ocupa-se com o pecado e o remorso. A fé divisa a misericórdia divina, quando toma-se a mão para receber a salvação (Ef 2.8).

O arrependimento honra a Lei de Deus. Mas, tanto a fé como o arrependimento vêm graciosamente de Deus, para que o homem não tenha de que gloriar-se (At 5.31; Rm 2.4; 12.3; 10.17; At 11.18; Fp 2.13; 2Tm 2.25; Ez 36.27 e Jr 31.3). Bem disse o profeta Isaías que Jeová é a nossa salvação (Is 12.2).

A fé e o arrependimento devem acompanhar o crente em toda sua vida. O primeiro é indispensável ao recebimento das bênçãos; o segundo fá-lo zeloso para pureza. O crente que sabe arrepender-se e humilhar-se aos pés do Senhor é um grande vencedor. Quanto à fé, notemos uma coisa: ela somente opera através do amor (Gl 5.6; Ef 6.23; 2Tm 1.13 e 1Tm 5.8). Há por aí os que se dizem cheios de fé, porém sem qualquer dose de amor divino. É uma anomalia, uma decepção, uma negação da verdade (1Co 13.2).

No tocante à salvação, confissão significa confessar publicamente a Cristo como Salvador. Após crer com o coração (Rm 10.10a), é preciso confessar ou declarar que agora é crente (Rm 10.9-10). Crer Nele sem confessá-lo é flagrante covardia; confessá-lo sem nEle crer é hipocrisia.

Expliquemos: a salvação é uma dádiva ou presente de Deus para nós (Ef 2.8; Tt 3.3 e Rm 6.23). Suponhamos que alguém te ofereça um grande e rico presente, porém suas mãos estão ocupadas com uma porção de objetos inúteis e sem valor, e não queres largar essas coisas para receber esse presente, recusando-o assim. O mesmo acontece em relação a Deus e à Sua salvação. Mas, suponhamos que tu largues tudo e aceites o presente. Nada mereces pelo fato de estenderdes a mão para receber o presente, mas, ao fazer assim, satisfazes a condição para receber essa dádiva. O mesmo se dá em relação à salvação.

O Senhor lhe abençoe e capacite! Boa aula.

Fonte: http://www.escoladominical.com.br/home/licoes-biblicas/subsidios/juvenis/1153-li%C3%A7%C3%A3o-14-desenvolvendo-a-sua-salva%C3%A7%C3%A3o.html Acesso em 29 set. 2018

Copyright © 2003 - 2018 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.