Juvenis

Lição 10 - Arrependimento II

CASA PUBLICADORA DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

Juvenis: Queda e redenção

COMENTARISTA: REYNALDO ODILO

COMENTÁRIO: PROF.ª PAULA RENATA SANTOS

LIÇÃO Nº 10 – ARREPENDIMENTO

“Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, em todo lugar, que se arrependam” (At 17.30)

ESBOÇO DA LIÇÃO

1. ARREPENDIMENTO

2. SIGNIFICADO DE ARREPENDIMENTO

3. POR QUE NOS ARREPENDER?

OBJETIVOS

Ensinar o real significado do arrependimento.

Analisar a importância do arrependimento no contexto da salvação.

Enfatizar a necessidade de arrependimento individual.

Querido (a) professor (a), evidentemente todos nós já precisamos pedir perdão a alguém, assim como recebermos tal pedido em algum momento. Por sermos tão diferentes, às vezes magoamos uns aos outros sem nem mesmo perceber. Talvez algo que para você não teria nenhum problema, para outrem implicaria em grande ofensa. De todo modo, intencional ou não, quem de nós, uma vez ferido, ainda mais por alguém que amamos, não valoriza receber um pedido de perdão? Sincero, com reconhecimento maduro, admitindo que realmente errou e se arrepende por ter te causado tal sofrimento.

Agora pense no contrário. Alguém até te pedir desculpas, mas com uma postura arrogante, sem se responsabilizar pelo dano causado, quase alegando que o erro foi seu de se ofender por algo “sem importância”, desvalorizando ou desdenhando assim de seus sentimentos. Como você se sentiria? Provavelmente ficaria, no mínimo, ainda mais chateado, certo? E também preocupado. Porque, afinal, se a pessoa não reconhece aonde errou, ou não dá importância a tal erro, como vigiará para não repeti-lo com você!?

Da mesma maneira que nós, seres tão pequenos, valorizamos o arrependimento sincero, imagina o Deus santo e perfeito, que conhece até os nossos mais íntimos pensamentos. Arrependimento, portanto, é crucial para na dinâmica da salvação e relacionamento – com Deus e com o próximo.

Explane essas questões para seus alunos. Se possível for, havendo tempo hábil, até os divida em grupos e proponha que montem um esquete sobre o tema “arrependimento”. Explique que esquete é uma pequena peça, uma breve encenação de curta duração e poucos atores, recursos e cenário, que transmite uma mensagem. É como visualizar uma parábola. Este é um poderoso recurso didático, muito útil para melhor compreensão e internalização da mensagem e objetivos propostos – tanto para quem cria e atua, como para quem assiste. E na faixa etária de seus juvenis, criativos e dinâmicos, tem um impacto ainda maior.

Frise que nem todos precisam participar encenando, podem colaborar apenas na criação da idéia e roteiro. Dependendo de seu tempo disponível em plano de aula, este pode ser um exercício iniciado neste, para ser apresentado no domingo que vem.

Ao longo de toda esta aula não perca de vista os objetivos propostos, se possível, sempre os elucidando com exemplos do contexto de seus alunos. Como conduzimos o assunto no início deste subsídio, é importante instigá-los, fazê-los entender profundamente a importância de um arrependimento sincero, de um coração contrito.

Use o exemplo de Saul (1 Sm 15.24-35) e Davi (2 Sm 12.1-20 e Sl 51). Proponha à turma que analise estas duas situações e reações diante de um erro; a diferença entre arrependimento e remorso, ou ainda medo do que as pessoas vão dizer, como foi o caso de Saul, que pediu a Samuel para acompanhá-lo a fim de manter as aparências perante seus soldados. Já Davi se humilhou, jejuou, se vestiu de pano de saco e cinzas, e mesmo ao enfrentar a consequência de seu pecado vendo a morte de seu filho, ele adorou ao Senhor.

O orgulho, vaidade, soberba foi o que levou Lúcifer à queda. E Satanás até hoje usa o mesmo para fazer cair também o ser humano. Por isso, precisamos sempre manter nosso coração moldável, corrigível, quebrantado e humilde perante o Senhor, e também para com as demais pessoas, especialmente quando errarmos.

De que adianta se sentir cheio de razão, mas estar vazio do Todo-Poderoso? De que vale mantermos as aparências diante dos homens, obter a admiração deles, mas sob o desprezo do Senhor? Ganhar uma “briga”, mas à custa da perda de um melhor amigo?

Ao contrário do que muitos pensam, é preciso ser grande para se apequenar ao reconhecer que errou. Deus valoriza isso. Não por acaso, o arrependimento traz em si um paradoxo; ao passo que requer contrição, desconstrução e humilhação, esta “descida” é justamente o caminho que o “eleva” ao Senhor, que o conduz ao crescimento, evolução e honra. Lembremos da Palavra:

“Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes. Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.

Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai o coração. Senti as vossas misérias, e lamentai, e chorai; converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo, em tristeza.

Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará” (Tg 4.6-10)

O Senhor lhe abençoe e capacite! Boa aula.

Fonte: http://www.escoladominical.com.br/home/licoes-biblicas/subsidios/juvenis/1102-li%C3%A7%C3%A3o-10-arrependimento.html Acesso em 30 ago. 2018

Copyright © 2003 - 2018 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.