Juniores

Lição 6 - A amiga distraída

ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO DO IPIRANGA - SEDE - SÃO PAULO/SP

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2018

Juniores: Os amigos de Jesus

COMENTARISTA: DANIELE PEREIRA

COMENTÁRIO: PROFª. JACIARA DA SILVA

LIÇÃO Nº 6 – A AMIGA DISTRAÍDA

Objetivo

Professor (a) ministre sua aula de forma que ao término, seus alunos possam conscientizar-se de que devemos sempre honrar e dar primazia a Cristo em nossas vidas.

Para memorizar:

“Busquem, pois, o Reino de Deus, e essas coisas lhes serão acrescentadas." (Lc 12.31 - NVI)

Texto bíblico em estudo: Lc 10.38-42

Marta e Maria

Betânia era uma cidadezinha, ou melhor, um povoado, bem perto de Jerusalém. O Senhor Jesus ia sempre lá porque havia uma casa que sempre o hospedava. Ali Jesus passou os últimos momentos de tranquilidade e paz de Sua vida, ao lado de Seus grandes amigos: Marta, Maria e Lázaro.

Em uma das visitas de Jesus a Betânia. Lázaro, Marta e Maria esforçavam-se para hospedarem de forma confortável em sua casa. Marta apreciava muito o Mestre. Era hospitaleira e considerava uma honra receber o Senhor como hóspede.

Essa foi uma atitude correta de Marta. O escritor da carta aos hebreus recomenda que sejamos hospitaleiros, pois alguns, fazendo isso, hospedaram anjos. Marta hospedou o Filho de Deus, o Salvador! Hoje, Jesus bate à porta do nosso coração e diz: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e cearei com ele e ele comigo” (Ap 3.20).

A escolha de Marta

Marta fez tudo para oferecer uma boa acolhida ao seu hóspede. Era uma visita muito importante e merecia o melhor. Assim, ela se esmerou para apresentar-lhe uma calorosa recepção. Enquanto realizava um serviço, pensa­va em mais outro … mais outro … e foi ficando desanimada, inquieta, irritada, e começou a murmurar. O seu trabalho de amor estava se tornando uma tarefa pesada demais, pois via que sua irmã Maria não se prestava a ajudá-la!

A escolha de Maria

Enquanto Marta se fatigava no trabalho caseiro, Maria, sua irmã, assentada aos pés de Jesus, totalmente absorta, ouvia os Seus ensinos. Bebia cada uma de Suas palavras. Ela sabia que o serviço era coisa secundária. Ela não podia perder a oportunidade de prestar adoração ao Mestre e receber Dele os ensinamentos.

A perda de Marta

Marta não podia saborear os ensinos de Jesus, pois estava muito preocupada com pormenores e coisas secundárias. Ela começou a se considerar vítima, e passou a acusar a irmã diante do hóspede amado. Sua irritação era tão grande que ela incluiu Jesus na acusação: “Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha?” E foi além, atrevendo-se a dar ordens ao Mestre: “Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me” (Lc 10.40).

Então, a voz do Mestre se fez ouvir: “Marta! Marta! andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário, ou mesmo uma só cousa” (Lc 10.41-42).

Essas poucas palavras continham sérias advertências:

a. Marta estava misturando o prioritário com o secundário;

b. Marta estava perdendo tempo com coisas de pouca importância;

c. Marta não compreendia que Cristo veio para servir e não para ser servido;

d. Marta não percebia que Jesus tinha mais interesse na sua pessoa do que no seu serviço.

Essas advertências são dirigidas a nós, hoje.

Há mais uma coisa que devemos notar: precisamos evitar a murmuração. Ela não agrada ao Senhor. Ela não edifica.

O ganho de Maria

“Maria, pois, escolheu a boa parte e esta não lhe será tirada” (Lc 10.42). Maria escolheu estar aos pés de Jesus, numa atitude de adoração e como discípula. Ela não precisava ser repreendida, mas sim elogiada, pois havia feito a melhor escolha.

Conclusão

O tempo que passamos com Jesus é sempre muito bem empregado. Precisamos organizar a vida de tal forma aprender de Cristo seja o mais importante para nós.

Colaboração para Portal Escola Dominical – Profª. Jaciara da Silva.

Copyright © 2003 - 2018 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.