Jovens

Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã IV

ASSEMBLEIA DE DEUS - UBERABA/MG

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

QUARTO TRIMESTRE DE 2017

Jovens:SEGUIDORES DE CRISTO: Testemunhando numa sociedade em ruínas

COMENTARISTA: VALMIR NASCIMENTO

COMENTARISTA: PROF. RAFAEL ALVES CRUZ

LIÇÃO Nº 7 – POLÍTICA E CORRUPÇÃO NA PERSPECTIVA CRISTÃ

...

INTRODUÇÃO

Quando falamos em política, o que vem a nossa mente? Acredito que em uma boa parte dos nossos leitores é: corrupção. Difícil mesmo é pensar em política e só ter boas lembranças. Acontece que a origem da palavra é justamente no sentido bom da política. Vejamos:

Política vem do grego politikos, que significa “cívico”. O termo politikos, por sua vez, se originou a partir da palavra polites, que quer dizer “cidadão”, que se originou de polis, traduzido por “cidade”. Numa sociedade como a grega, em que a vida pública interessava a todos os cidadãos, os politikos eram aqueles que se dedicavam ao governo da polis (“a cidade” ou “o Estado”), colocando o bem comum acima de seus interesses individuais.

Mas não há dúvida de que no nosso país o sentido é outro: político é aquele que adquire poder para benefício próprio.

É nesse assunto que ficam as perguntas: Como seguidores de Cristo, quais devem ser as nossas atitudes e envolvimento com a política? Podemos ter opiniões políticas fora das considerações da nossa fé cristã? Tem sido dito que “religião e política não se misturam” – será que isso é realmente verdade?

Vamos a nossa lição!

I – POLÍTICA GOVERNAMENTAL E CORRUPÇÃO

1. Política governamental

De uma forma clara e simples podemos dizer que políticas públicas, são políticas voltadas à população e que obedecem aos princípios democráticos e constitucionais. Já políticas governamentais, são relativas à posição política do partido que governa, mudando conforme muda-se o governo de um Estado.

E quando citamos governo, também citamos autoridade. Autoridade que foi constituída por Deus para que pudéssemos obedecer e viver de uma forma tranquila. Veja o que Paulo diz aos Romanos:

Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Deus.

Por isso quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.

Porque os magistrados não são motivo de temor para os que fazem o bem, mas para os que fazem o mal. Queres tu, pois, não temer a autoridade? Faze o bem, e terás louvor dela; porquanto ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus, e vingador em ira contra aquele que pratica o mal. Romanos 13:1-4

Não há dúvida de que a nossa responsabilidade ao governo é obedecer às leis e ser bons cidadãos. Paulo está nos ensinando que é responsabilidade do governo exercer autoridade sobre nós, coletar impostos e manter a paz. Onde temos uma voz e podemos eleger nossos líderes, devemos exercer esse direito através do voto para aqueles cujos pontos de vista mais se parecem com os nossos.

Para continuar lendo este artigo baixe o anexo no link abaixo.

Fonte: https://ebdcomentada.com.br/wp/blog/cpad-jovens-4o-trimestre-2017-licao-7-politica-corrupcao-na-perspectiva-crista/ Acesso em 09 nov. 2017

Copyright © 2003 - 2017 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.