Adultos

Lição 10 - Precisamos de vigilância espiritual II

ASSEMBLEIA DE DEUS - MONTE TABOR/IMPERATRIZ-MA

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

QUARTO TRIMESTRE TRIMESTRE DE 2018

Adultos - As parábolas de Jesus: as verdades e princípios divinos para uma vida abundante

COMENTARISTA: WAGNER TADEU DOS SANTOS GABY

COMPLEMENTOS, ILUSTRAÇÕES E VÍDEOS: PR. LUIZ HENRIQUE DE ALMEIDA SILVA

LIÇÃO Nº 10 – PRECISAMOS DE VIGILÂNCIA ESPIRITUAL

...

COMENTÁRIOS DIVERSOS

Comentário Bíblico - Matthew Henry (Exaustivo) AT e NT

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Mateus 24.45-51

45 – Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o Senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo? 46 – Bem-aventurado aquele servo que o Senhor, quando vier, achar servindo assim. 47 – Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens. 48 – Porém, se aquele mau servo disser consigo: O meu senhor tarde virá, 49 – e começar a espancar os seus conservos, e a comer, e a beber com os bêbados, 50 – virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera e à hora em que ele não sabe, 51 – e separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes.

Porque o resultado da vinda do nosso Senhor será muito feliz e consolador para aqueles que forem encontrados preparados, mas muito triste e assustador para os demais (vv. 45ss.). Isto é representado pela situação diferente do servo bom e do mau, quando o seu senhor vem para acertar as contas com eles. Será bom ou mau para nós, por toda a eternidade; tudo depende de sermos encontrados preparados ou despreparados, naquele dia, pois CRISTO dará a cada um segundo as suas obras. Esta parábola, que conclui o capítulo, se aplica a todos os cristãos, que são, por profissão e obrigação, servos de DEUS. Mas ela parece destinada, em especial, como uma advertência aos ministros, pois o servo de que se fala é um administrador. Observe o que CRISTO diz aqui:[1] A respeito do servo bom. O Senhor mostra aqui que aquele é um administrador da casa; sendo assim, ele deveria ser fiel e prudente; e se fosse assim, seria eternamente bem-aventurado. Aqui há boas instruções e bons incentivos aos ministros de CRISTO.

Em primeiro lugar, temos aqui o seu lugar e trabalho. Ele é aquele que o Senhor tornou administrador da sua casa, para dar o sustento a cada um a seu tempo. Observe: 1. A igreja de CRISTO é a sua casa, ou família. Ele é o Pai e Mestre. É a casa de DEUS, uma família que toma o nome de CRISTO (Ef 3.15). 2. Os ministros do Evangelho são nomeados administradores nessa casa. Não como príncipes (CRISTO advertiu contra isso), mas como administradores, ou outros encarregados subordinados; não como senhores, mas como guias; não para prescrever novos caminhos, mas para mostrar e conduzir nos caminhos que CRISTO indicou. Este é o significado de hegoumenoi, que traduzimos: governando sobre vós (Hb 13.17). Como supervisores, não para interromper nenhum novo trabalho, mas para orientar e acelerar a obra que CRISTO ordenou; este é o significado de episcopoi – bispos. Eles são governantes por CRISTO; qualquer poder que eles tenham deriva dele, e ninguém pode tomá-lo deles, ou reduzi-lo. JESUS é aquele a quem DEUS Pai fez governante; e CRISTO tem o poder de fazer ministros. Eles são governantes sob CRISTO, agindo subordinados a Ele; e governantes para CRISTO, para o progresso do seu reino. 3. O trabalho dos ministros do Evangelho é de dar à casa de CRISTO o seu sustento a seu tempo, como administradores, e por isso eles têm as chaves da casa. (1) O seu trabalho é dar, e não tomar para si mesmos (Ez 34.8), mas dar à família o que o Mestre trouxe, distribuir o que CRISTO comprou. E aos ministros foi dito: “Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber” (At 20.35). (2) Trata-se de dar sustento, e não a lei (isto é função de CRISTO), mas transmitir à igreja essas doutrinas, que, se devidamente digeridas, serão alimento para as almas. Eles devem dar, não o veneno das falsas doutrinas, não as pedras das doutrinas duras e infrutíferas, mas o sustento que é saudável e que faz bem. (3) O sustento deve ser dado a seu tempo, en kairo – enquanto há tempo para isso; quando vier a eternidade, será tarde demais; nós precisamos trabalhar enquanto é dia: isto é, sempre que houver qualquer oportunidade; ou no tempo indicado, continuamente, conforme exija o dever de cada dia.

Para continuar lendo este artigo baixe o anexo no link abaixo.

Fonte: http://ebdnatv.blogspot.com/2018/12/licao-10-precisamos-de-vigilancia.html Acesso em 07 dez. 2018

 

Copyright © 2003 - 2018 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.