Adultos

Lição 7 - Fogo estranho diante do altar II

p>ASSEMBLEIA DE DEUS - MONTE TABOR/IMPERATRIZ-MA

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

Adultos - Adoração, santidade e serviço: os princípios de Deus para a Sua Igreja em Levítico

COMENTARISTA: CLAUDIONOR CORREA DE ANDRADE

COMPLEMENTOS, ILUSTRAÇÕES E VÍDEOS: PR. LUIZ HENRIQUE DE ALMEIDA SILVA

LIÇÃO Nº 7 – FOGO ESTRANHO DIANTE DE DEUS

...

Comentário Rápido do Pr. Henrique

A meu ver a explicação pela morte de Nadabe e Abiú é até simples. O fogo que deveriam usar era o fogo que desceu do céu - Fogo de DEUS que havia no Altar do Holocausto (eSTE ALTAR representa A Cruz onde JESUS morreu por nós) e oferecer no Altar de Incenso (representa as orações e intercessões - A intercessão de JESUS, morrendo para nos salvar).

Ao invés disso, usaram algum fogo que pegaram em outra parte, ou seja, pegaram algo humano e comum, fabricado pelo ser humano, para oferecerem em substituição ao sagrado. Pegaram um substituto para JESUS. Além de ser o verdadeiro altar dos verdadeiros cristãos, JESUS CRISTO é também a oferta aceitável e aprazível a DEUS, a única que a justiça divina aceita com agrado. JESUS ofereceu-se a si mesmo como oferta voluntária para, de uma vez por todas, ‘‘aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo” (Hb 9.26).

Por isso morreram - Tudo ali tinha um significado.

A Bíblia não diz que morreram por desejarem ocupar o lugar de Arão, não diz que ofereceram incenso errado, não diz que foram irreverentes e nem diz que estavam bêbados. Só diz que ofereceram Fogo Estranho.

Ao invés de oferecerem o Fogo que desceu do céu, de DEUS, usaram outro fogo para reacenderem o incenso do Altar de Incenso, ou para reativarem as brasas que ali haviam do fogo do dia anterior.

O certo é que Arão tinha por obrigação manter ali o fogo aceso.

Para continuar lendo este artigo baixe o anexo no link abaixo.

COLABORAÇÃO PARA O PORTAL ESCOLA DOMINICAL - PR. LUIZ HENRIQUE DE ALMEIDA SILVA

Copyright © 2003 - 2018 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.