Adultos

Lição 1 - A Carta aos Hebreus e a excelência de Cristo III

ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO DO BELÉM - SETOR 31 - ERMELINO MATARAZZO/SÃO PAULO-SP

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2018

Adultos - A supremacia de Cristo: Fé, esperança e ânimo na Carta aos Hebreus

COMENTARISTA: JOSÉ GONÇALVES

COMENTÁRIO: EV. MARCOS JACOB DE MEDEIROS

LIÇÃO Nº 1 – A CARTA AOS HEBREUS E A EXCELÊNCIA DE CRISTO

Texto: Hb.1:1-14

Introdução: Por meio de Cristo, Deus revelou-se de uma forma especial e definitiva ao seu povo

I – Autoria, destinatário e propósito

1. Autoria

1.1. Na carta não é revelado o nome do autor

. Houve inúmeras discussões para saber quem a escreveu

. No segundo século da nossa era não havia consenso sobre sua autoria

. Clemente de Alexandria foi duramente criticado quando afirmou que foi ‘Paulo’

. Outros nomes surgiram como possíveis autores: Barnabé, Apolo, Lucas, Clemente Romano, etc.

. Mesmo desconhecendo sua autoria em nada diminui sua autoridade

2. Destinatário

2.1. A carta foi endereçada a uma comunidade específica de cristãos

. O autor conhece e encontra-se com tal público (Hb 13.19,23)

. Esses crentes, provavelmente viviam fora de Roma (Hb 13.24)

3. Propósito

3.1. A carta aos Hebreus combina instrução com exortação

. Exortação: ânimo, confiança, fé

3.2. O tempo era marcado por heresia

3.3. Muitos cristãos estavam voltando às antigas práticas judaicas

. A carta lembra-os de que ainda não haviam derramado sangue por causa da sua fé (Hb 12.4)

3.4. Essa carta é válida para muitos crentes apáticos, sem fervor espiritual, de hoje.

3.5 . Seu conteúdo (Fonte: Hebreus, Severino Pedro, Cpad)

. 13 Capítulos

. 303 versículos

. 6.454 palavras (Edição revista e atualizada)

II – Cristo – A palavra superior a dos profetas

1. A revelação profética e a Antiga Aliança

1.1. Deus falou, no passado, pelos profetas e no presente pelo Filho (Hb 1.1; 2Pe 1.20,21)

1.2. Através dos profetas, Israel se distinguiu das demais nações (Am 3.7)

1.3. Deus se revela e se comunica com os seus:

. Fala de uma forma direta

. Não é um Deus mudo

. Ele fala muitas vezes

. Ele fala de diversas maneiras

1.4. Deus, na história, nunca deixou o seu povo sem orientação

1.5. O silêncio profético era a pior forma de castigo à Israel

2. A revelação profética e a Nova Aliança

2.1. Aos cristãos da Nova Aliança, Deus falou por intermédio de seu Filho (Hb 1.1,2)

2.2. Como Deus se revela hoje:

. Através do Espírito Santo (1Pe 1.11; Rm 8.9,10)

. Ele fala revelando sua vontade ao seu povo (Jo 14.26; 15.26; 16.13)

. Deus fala sempre em consonância com as Escrituras

3. Cristo: a revelação final

3.1. Cristo é o clímax da revelação profética

3.2. Os profetas da Antiga Aliança eram apenas servos, mas Cristo era o herdeiro de Deus e o agente da criação (Hb 1.2)

. Nenhum profeta morreu de forma vicária pelo povo de Deus.

III – Cristo – Superior aos anjos

1. Cristo: superior em natureza e essência

1.1. O autor de Hebreus tenciona mostrar a superioridade de Cristo em relação as demais ordens da criação

1.2. Sobre os anjos

. A cultura judaica via os anjos como seres de uma ordem superiores e mediadores da revelação divina (At 7.53; Gl 3.19; Hb 2.2)

. Mesmo os anjos tendo força e poder, os anjos eram inferiores ao Filho (Hb 1.4)

1.3. Embora sendo pessoas diferentes, tanto o Filho como o Pai possuem a mesma essência.

1.4. Cristo é o Deus revelado

2. Cristo: superior em majestade e deidade

2.1. A superioridade de Cristo em relação aos anjos

. Os anjos são criaturas, o Filho é Criador

. Os anjos não possuem a mesma essência divina que o Filho

. O Filho foi gerado, os anjos foram criados (Hb 1.5)

2.2. O Filho é chamado de ‘Deus’ (Hb 1.6)

2.3. Ao Filho toda honra e glória (Hb 1.6)

Conclusão: O autor de Hebreus não quis se identificar, mas isso em nada compromete a autoridade desse documento.

COLABORAÇÃO PARA O PORTAL ESCOLA DOMINICAL - EV. MARCOS JACOB DE MEDEIROS

Copyright © 2003 - 2018 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.