Adultos

Lição 2 - A salvação na Páscoa judaica III

ASSEMBLEIA DE DEUS – MINISTÉRIO DO BELÉM – SETOR 31 ERMELINO MATARAZZO, SÃO PAULO/SP

PORTAL ESCOLA DOMINICAL

QUARTO TRIMESTRE DE 2017

Adultos - A obra da salvação: Jesus Cristo é o caminho, a verdade e a vida

COMENTARISTA: CLAITON IVAN POMMERENING

COMENTÁRIO: EV. MARCOS JACOB DE MEDEIROS

LIÇÃO Nº 2 – A SALVAÇÃO NA PÁSCOA JUDAICA

Introdução: A libertação do povo israelita vislumbrava um plano divino maior: libertar e salvar a humanidade

Texto: Êx 12.21-24,29

I - A INSTITUIÇÃO DA PÁSCOA

1. O livramento nacional

1.1. A páscoa é a celebração da libertação nacional de Israel (Êx 12.1-13,16)

1.2. Foi o último juízo sobre o Egito antes da peregrinação do povo judeu rumo à Terra Prometida (Êx 12.29-51)

2. A libertação da escravidão

2.1. Os israelitas habitaram por muitos anos no Egito (Êx 12.40)

. Experimentaram a dominação

. Experimentaram a escravidão

. Experimentaram a humilhação

2.2. Deus lembrou-se do Israel escravo e começou a agir (Êx 6.5)

. Do clamor do povo, veio a esperança

3. A nova celebração judaica

3.1. A Páscoa passou a ser a nova festa religiosa de Israel (Êx 12.1-20)

. Oito dias passavam comendo pão sem fermento (Êx 12.39,40)

3.2. O legislador era Moisés

II - O CORDEIRO DA PÁSCOA

1. O cordeiro no Antigo Testamento

1.1. O cordeiro no Antigo Testamento (Êx 12.3-10)

. Era parte fundamental dos sacrifícios

. Era oferecido para remissão dos pecados

. Foi introduzido quando Deus libertou o seu povo

1.2. Observações ao oferecer o cordeiro (Lv 4.32; Nm 6.14)

. Devia ser completamente limpo

. Sem manchas e sem defeitos

. Ser imaculado

. Plenamente saudável

1.3. Todo esse simbolismo apontava para Jesus, o verdadeiro Cordeiro pascal

2. Jesus, o verdadeiro Cordeiro pascal (Jo 1.29,36)

2.1. A páscoa cristã

. É um memorial

. É Deus substituindo os sacrifícios temporários por um único definitivo

. Relembramos o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo (Ap 13.8)

. Ele foi morto na Cruz

. Cristo é o fundamento, a essência da Páscoa

. Através de Cristo, nossa culpa foi anulada definitivamente.

2.2. Em Cristo, nosso verdadeiro Cordeiro pascal (1Co 5.7)

. Nos assentamos nos lugares celestiais (Ef 2.6)

. Somos santificados, justificados e perdoados (Rm 5.1,2; 8.1)

III - O SANGUE DO CORDEIRO

1. O significado do sangue

1.1. A primeira abordagem da Bíblia acerca dos sacrifícios está no livro de Gênesis (Gn 3.21; 4.1-7)

. Os sacrifícios de animais era uma forma de lidar com os problemas do pecado (Is 59.2)

. Era a forma de restabelecer a comunhão com Deus (Lv 17.11; cf Hb 9.23-28)

. Sangue, na Bíblia, significa 'vida'

2. O sangue do cordeiro pascal

2.1. Antes da última praga no Egito, Deus ordenou aos judeus que preparassem um cordeiro para cada família (Êx 12.3)

. Passariam o sangue do cordeiro nos umbrais das portas (Êx 12.7)

. Era um sinal para que o anjo não matasse o primogênito naquele lar. (Êx 12.13)

. Era símbolo de proteção dos israelitas diante da morte

. Cristo é a nossa proteção (1Jo 1.7)

3. O sangue da Nova Aliança

3.1. Quando Cristo celebrou a Páscoa na última ceia afirmou que o seu sangue era o símbolo da Nova Aliança (Lc 22.14-20)

. Ele era o real cordeiro, bem como o verdadeiro sacerdote, sendo o sacrifício e o oficiante ao mesmo tempo (Hb 12.24)

3.2. Agora, temos acesso ao trono da Graça (Hb 4.16)

3.3. Cristo é o único e verdadeiro mediador entre Deus e os homens (1Tm 2.5)

3.4. É responsabilidade da Igreja anunciar a Nova Aliança (1Pe 2.9)

Conclusão: A Páscoa para os judeus é a memória da ação salvadora de Deus. Para nós, os cristãos, é a recordação da ação redentora de Jesus em favor da humanidade.

COLABORAÇÃO PARA O PORTAL ESCOLA DOMINICAL - EV. MARCOS JACOB DE MEDEIROS

Copyright © 2003 - 2017 Portal Escola Dominical todos os direitos reservados.